Curta Balada
Whisky com energético faz mal?
Whisky com energético faz mal?

Afinal é correto misturar Whisky com energético? Será que faz bem? Será que faz mal? É um drinque elegante ou é uma heresia? Whisky com energético é uma mistura que acabou virando mania entre o público jovem.Vamos falar um pouco sobre a composição das bebidas energéticas mais comuns no mercado brasileiro, duas substâncias se destacam: A taurina e a cafeína.
O energético misturado a bebidas com elevado teor de álcool como o Whisky, além de diluir o álcool e deixar a mistura mais agradável ao paladar, a cafeína e a taurina deixam o indivíduo mais agitado, impulsionando-a a beber mais e submeter a um stress ainda maior os sistemas cardiovascular e respiratório.

A MISTURA DOS COMPONENTES FAZ BEM PARA SAÚDE?

Você já deve ter lido na embalagem do energético a orientação para evitar o seu consumo com qualquer tipo de bebida alcoólica. Veja os prós e os contras, sobre essa mistura!
Apesar de muitas pessoas pensarem que o álcool é estimulante, na verdade trata-se de um depressor do sistema nervoso central. A aparente estimulação inicial que ocorre em pequenas doses é oriunda da depressão no cérebro dos mecanismos naturais desencadeadores da inibição. Consequentemente ingerir álcool em excesso (depressor do sistema nervoso central) e cafeína em excesso (estimulante do sistema nervoso central) propicia no cérebro um efeito antagônico. Um estimula o outro deprime.
Cafeína e álcool coadunam efeitos que aceleram a perda de água (e consequentemente a de eletrólitos)
O energético misturado a bebidas com elevado teor de álcool como o uísque, além de diluir o álcool e deixar a mistura mais agradável ao paladar, a cafeína e a taurina deixam o indivíduo mais agitado, impulsionando-a a beber mais e submeter a um stress ainda maior os sistemas cardiovascular e respiratório.
Segundo um estudo da Unifesp, é possível ainda que os energéticos prolonguem a desinibição inicial desencadeada pelo álcool e levem os usuários a fazer um juízo errado de suas capacidades – como o de ser capaz de dirigir mesmo estando embriagado.
Em outro estudo, realizada pela mesma universidade, demonstrou-e que a cafeína presente no energético potencializa o efeito negativo do álcool no cérebro. De acordo com o estudo, a cafeína acelera a morte de células cerebrais, causada principalmente pelo álcool, que pode levar ao envelhecimento precoce e a doenças como mal de Alzheimer e de Parkinson.
O álcool é um dos grandes responsáveis pela chamada morte celular programada, também conhecida como apoptose. Trata-se de um processo lento de morte de células que acontece com a presença de um estímulo agressor, como o etanol (álcool), por exemplo.
E este efeito aumenta na presença da cafeína.Segundo a pesquisa, as células cerebrais morrem naturalmente em decorrência do envelhecimento. Porém quando o consumo de bebida alcoólica é exagerado, essa mortalidade aumenta em 50%.
Esse índice é ainda maior quando o álcool é associado à cafeína, chegando a 80%. O energético mascara o efeito depressivo do álcool favorecendo a superdosagem. O indivíduo pode se encaminhar para o coma alcoólico muito rapidamente e sem perceber. O que pode resultar até em óbito.

Então galera, vamos tentar evitar os excessos pelo menos…

 

Curta Balada
Quer anunciar em nosso website? mande e-mail para: contato@curtabalada.com.br