Curta Balada
Show de 40 anos do Kiss em Curitiba agrada público dos 4 aos 64 anos
Show de 40 anos do Kiss em Curitiba agrada público dos 4 aos 64 anos

Dó, si, dó, si, dó, si, dó, si, dó dó dó…” Enquanto as primeiras notas de Detroit Rock City ecoavam das caixas de som da Pedreira Paulo Leminski, em Curitiba, Seila Perneira, de 64 anos, trocava a ansiedade pelos sorrisos ao ver mais uma grande banda de rock ao vivo, ao lado dos filhos. Desta vez, a família pode assistir ao Kiss, nesta terça-feira (21), que trouxe ao Brasil a turnê em comemoração aos 40 anos de existência do grupo.
Pouco antes do show, Seila contou que o gosto pelo rock mais pesado veio por influência do filho. Antes disso, porém, as guitarras mais distorcidas já faziam parte da vida dela, que fez uma revelação. “Eu não gostava tanto dos Beatles, era mais fã dos Rolling Stones”. disse. Antes do Kiss, ela afirmou que também viu o grupo alemão Scorpions em Curitiba.
Da formação original, do Kiss restaram apenas o vocalista e guitarrista Paul Stanley e o vocalista e baixista Gene Simmons. Na segunda guitarra, Tommy Thayer substitui o mítico Ace Frehley, co-autor de algumas das principais melodias da banda fundada em 1973, em Nova York. Já as baquetas ficaram a cargo de Eric Singer, no lugar de Peter Criss.
O setlist não trouxe grandes surpresas ao público, se prendendo aos principais clássicos, como “Do You Love Me”, “Deuce”, “Shout it out Loud” e, claro, “Rock n’ Roll al Nite”, que encerrou a apresentação, cujo repertório incluiu apenas músicas mais pesadas. Nada de baladas como “Forever”, por exemplo. Além disso, a pirotecnia e outros efeitos especiais, comuns às apresentações, estiveram presentes. Neste show, Stanley fez uma tirolesa para ficar mais perto da plateia e Simmons “voou” a um palco mais alto.
As maquiagens e a roupa extravagantes, que em outras épocas assustaram os mais conservadores, desta vez foram celebradas até pelas crianças. Entre elas, Gabriela Junqueira Carrilo, de apenas quatro anos. Perguntada se ficou incomodada com o barulho ou com medo dos já idosos Stanley e Simmons, ela respondeu que não. Segundo os pais, Eduardo e Juliana, a menina foi quem pediu para ir ao show. “Ela ficou seis meses esperando por isso”, disse a mãe.
A turnê brasileira do Kiss, que passou por Florianópolis, na segunda-feira (20), e por Curitiba, nesta terça, segue agora para Belo Horizonte, em Minas Gerais, no dia 23, Brasília, no dia 24 e se encerra no sábado (26), no festival Monsters of Rock, em São Paulo.

G1

Curta Balada
Quer anunciar em nosso website? mande e-mail para: contato@curtabalada.com.br