Curta Balada
Lançar novo nome no sertanejo não custa menos de R$ 2 milhões, diz empresário
Lançar novo nome no sertanejo não custa menos de R$ 2 milhões, diz empresário

Em 2015 — e 2016 já mostra que não será diferente —, a música sertaneja provou sua força mercadológica ao dominar as listas de músicas mais tocadas nas rádios e praticamente monopolizar o segmento de show no Brasil. Essa condição não chega a ser uma surpresa ou novidade. Nos últimos quinze anos, os demais gêneros perderam bastante espaço na mídia enquanto o sertanejo se transformou na música oficial das festas e baladas do País.

Essa dominação é fruto de investimentos financeiros pesados. Escritórios artísticos e grupos empresariais de diversos ramos da agropecuária e indústria investem verdadeiras fortunas em artistas sertanejos com a esperança de encontrar um novo ídolo.
Mas afinal, qual o processo e quanto custa transformar um cantor em astro do porte de Lucas Lucco e Luan Santana? Segundo produtores e empresários do ramo, essa é uma das perguntas mais difíceis de ser respondida. Não existe uma fórmula mágica e pronta para transformar o ídolo local que se destaca em um bar de universidade em um pop star.

Independente do quanto for investido para criar uma carreira, é preciso de muito planejamento para aplicar o dinheiro. Anderson Ricardo, o empresário que descobriu Luan Santana e CEO da Ar Live, explica que os caminhos a serem seguidos são bastante relativos.

— O que serviu para um, talvez não sirva para o outro. Toda historia é uma historia, não consigo dar um numero exato de quanto é preciso para lançar um artista porque depende de muitos pontos, mas posso te garantir que precisa de muito dinheiro. E se esse dinheiro vai retornar? Só Deus sabe.

O produtor Zé Renato Mioto, um dos responsáveis pelo sucesso de João Carreiro e Capataz, tenta se aproximar de um número para garantir a manutenção de uma carreira em evidência no início.
— É difícil falar de numeros exatos. Ja vi artistas gastarem mais de 10 milhões e não terem retorno algum. Por outro lado, vi artistas gastarem pouquíssimo usando apenas a força da internet e terem mais resultados. Penso que se voce tiver um artista bom, com uma boa voz, carisma, um ótimo CD com no mínimo quatro músicas boas para trabalhar durante o ano, R$ 2 milhões seria um investimento inicial ideal, lembrando que os investimentos não param por aí e o retorno nem sempre vem. No final de tudo, dinheiro ajuda, mas quem escolho é o povo.

Quem quer ser um astro?

Decidir quem é a nova aposta dos escritórios e empresários endinheirados é uma tarefa difícil. O músico pode ser ótimo como cantor, mas não ser bonito suficiente para o projeto imaginado. Ou pode ser bonito e talentoso, mas apresentar problemas de comportamento.
Para evidenciar os pontos positivos e reparar os negativos, alguns artistas passam por um período de experiência de até dois anos antes de serem lançados no mercado “oficial”. É o caso por exemplo de Marcos e Belutti.

Descobertos pelos cantores Edson e Bruno em 2007, eles passaram por várias etapas e chegaram ao primeiro escalão do sertanejo sete anos depois, com um contrato com o escritório de Sorocaba e o sucesso de Domingo de Manhã. Edson, da dupla com Hudson e empresário de Thyago, comenta que é importante não acelerar as coisas.

— Beleza passa, grana acaba, mas o talento fica. Nossa dupla mesmo, depois de se separar, precisou recomeçar do zero. Não adianta achar que copiar o estilo do cantor do momento vai garantir sucesso para todo mundo. Não adianta comprar ônibus envelopado antes de ter música e disco. Artista precisa de direcionamento e projeto a longo prazo.

O produtor Fabrício Alves, comenta que entre os processos desse projeto a longo prazo estão aulas de canto, fonoaudiólogo, personal stylist, dentista, hair stylist, tratamentos estéticos e personal trainer. O músico também quase sempre muda de residência, ganha um salário e um carro.

— O artista é um produto, que tem um grupo de investidores visando retorno financeiro. O segredo não é fazer sucesso relâmpago, o segredo é se manter, dar sequência ao trabalho. Tem gente que emplaca um sucesso e acha que não precisará mais de ajuda profissional a partir de então. Não é assim.

fonte:R7

Curta Balada
Quer anunciar em nosso website? mande e-mail para: contato@curtabalada.com.br