Curta Balada
Dia do Rock: conheça dez bandas nacionais que fazem bonito
Dia do Rock: conheça dez bandas nacionais que fazem bonito

No Dia Mundial do Rock, podemos afirmar que o rock nacional vai muito bem, obrigada. Durante a segunda temporada do SuperStar, que acabou no domingo, metade dos finalistas eram do rock, Scalene e Versalle.
O novo rock nacional encontrou alternativas para se fazer presente seja em qual mídia for. São figurinhas carimbadas em festivais país afora, tem público fiel e, em alguns casos, chegam à audiência média com fruto de seu próprio esforço e sem contratos milionários.
Se um novo fenômeno de hits do gênero está para surgir, como foi a Legião Urbana e mais recentemente o Los Hermanos é uma incógnita. A certeza é que o rock nacional saiu da sombra das produções da marcadas pela nostalgia e está em ótima fase, com boas bandas que o grande público mais cedo ou mais tarde vai conhecer. Neste dia de comemoração, vamos dar uma olhada nas dez bandas brasileiras que têm se destacado.

1. Apanhador Só – Depois de conquistar o Brasil com a turnê de “Antes que tu conte outra”, elogiado segundo álbum, os gaúchos lançaram campanha de financiamento coletivo para gravar seu próximo disco. A banda liderada por Alexandre Kumpinski encontrou linguagem própria em suas criações e, com letras fortes e fórmulas ousadas, impressiona os ouvintes.
Origem: Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Disco: “Antes que tu conte outra”, de 2013
Música Indispensável: “Mordido”

2. Far From Alaska -Pensou em rock nacional com ‘pegada’, pensou no Far From Alaska. Com um dos melhores discos nacionais de 2014, ‘modehuman’, a banda do Rio Grande do Norte não deixa ‘pedra sobre pedra’ em suas apresentações. Não à toa fizeram um dos shows mais elogiados do Lollapalooza Brasil.
Origem: Natal, Rio Grande do Norte
Disco: “modehuman”, de 2014
Música Indispensável: “Dino VS. Dino”

3. Boogarins -O Boogarins, com seu estilo “pós-tropicália” e “neopsicodelismo, deixa cada música fluir no show com espaço pra improviso. Canções selvagens, como se seguissem por vontade própria e não a de seus autores. A banda até pode soar com Tame Impala, mas ao cantar na língua materna, eles estão mais pra um Mutantes indie, um Clube da Esquina alucinado. Com novo disco engatilhado ainda para este ano, os goianos pretendem ir mais longe do que na elogiada estreia “As Plantas que Curam”, de 2013.
Origem:Goiânia, Goiás
Disco: “As Plantas que Curam”, de 2013
Música Indispensável: “Doce”

4. O Terno – O Terno mostra que o rótulo de revelação já faz parte do passado com o disco homônino lançado em 2014. Não há candidatas à hit em “O Terno” como no anterior “66”, mas há unidade e a ousadia de quem deseja experimentar o quanto antes. Eles costuram cada música em detalhes, atualizando sua sonoridade à moda antiga com timbres extras e efeitos de dar inveja a veteranos do ramo.
Origem: São Paulo, São Paulo
Disco: “O Terno”, de 2014
Música Indispensável: “Eu Vou Ter Saudades”

5. Carne Doce -Esqueça as duplas sertanejas que pipocam vindas da parte central do Brasil. O Carne Doce é uma das grandes apostas do rock nacional ao falar das intimidades do casal Macloys Aquino e Salma Jô, vocalista de timbre peculiar e que lembra a Gal Costa do clássico “Fa-Tal – Gal a Todo Vapor” (1971).
Origem: Goiânia, Goiás
Disco: “Carne Doce”, de 2014
Música Indispensável: “Idéia”

6. Baleia -Cariocas da gema, a banda estreou com o ótimo álbum “Quebra Azul”, lançado em 2013. Se em estúdio, o grupo abusa de violinos e percussão, conferindo experimentalismo à gravação, ao vivo é diferente. A Baleia ganha acento rock no palco: guitarras e arranjos pesados tomam conta da apresentação, que além do repertório autoral traz versões de Dorival Caymmi, Radiohead e Rodrigo Amarante.
Origem: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
Disco: “Quebra Azul”, de 2013
Música Indispensável: “Motim”

7. Quarto Negro -A dupla formada por Eduardo Praça e Thiago Klein faz um rock contemplativo, para ser apreciado com calma. O novo álbum “Amor Violento” encaminha o ouvinte para uma turbulenta viagem emocional que dialoga com a música de Arcade Fire e Grizzly Bear. Para ouvir sem pressa e com a devida atenção que a banda merece.
Origem: São Paulo, São Paulo
Disco: “Desconocidos”, 2011
Música Indispensável: “Luz”

8. Nevilton -Nevilton é um respiro de pop rock bem feito e que falta nas rádios. Com versos bem amarrados, refrãos grudentos e sem forçarem ser ‘a banda mais importante do momento’, esse paranaenses mostram que ainda há espaço para o rock nada óbvio e honesto no Brasil.
Origem: Umuarama, Paraná
Disco: “Sacode”, de 2013
Música Indispensável: “Porcelana”

9. Selton -A mistura de pop psicodélico com MPB até pode soar esquisita, mas com o Selton esse encontro não só fica encantador, como traz traços cosmopolitas. Natural do Brasil, formado em Barcelona e residente em Milão, o grupo não tem amarras para produzir belezas atemporais como a versão de “Qui Nem Jiló”, de Luiz Gonzaga.
Origem: Porto Alegre, Barcelona, Milano
Disco: “Saudade”, de 2013
Música Indispensável: “Eu nasci no meio de um monte de gente”

10. Molho Negro -Aposta vinda do Norte do Brasil que não dá espaço para frescuras e riffs delicados. A conversa aqui é reta e feita sob medida para quem aprecia rock pesado.
Origem: Belém, Pará
Disco: “Lobo”, de 2014 ”
Música Indispensável: “Aparelhagem de apartamento”

fonte : G1globo

Curta Balada
Quer anunciar em nosso website? mande e-mail para: contato@curtabalada.com.br