Curta Balada
‘Bang’ de Anitta tem início poderoso, mas tropeça em clichês
‘Bang’ de Anitta tem início poderoso, mas tropeça em clichês

Quem ouve as duas primeiras faixas do novo CD da Anitta, “Bang”, se pre-para e espera uma joia do pop brasileiro.
O estouro é mais fugaz, entretanto. Com início quase perfeito (com a faixa-título e “Deixa ele sofrer”), o terceiro disco da ex-funkeira tem altos e baixos. Veja acima comentários do G1 faixa a faixa.
São 14 músicas, cinco participações especiais e Umberto e Mãozinha mais uma vez escalados como produtores do disco. Diferentemente dos dois trabalhos anteriores, há músicas beeeem aquém do que se espera de uma cantora pop de primeiro time.
A abominável “Cravo e canela”, cantada com Vitin (da banda de reggae Onze:20), parece sobra de Seu Jorge. “Volta amor” é uma “Zen” piorada, feita para ocupar a cota música de luau e de FM de elevador. “Me leva a sério” lembra um pesadelo com discursinho que destoa de outras letras muito mais sagazes.
No geral, “Bang” mira com precisão no pop, embora erre o alvo tantas vezes. Quando acerta, aí é para matar. São os casos das duas primeiras e também de outras como “Pode chegar”, com Nego do Borel; e “Gosto assim”, com Dubeat.

https://www.youtube.com/watch?v=UGov-KH7hkM

fonte: G1

Curta Balada
Quer anunciar em nosso website? mande e-mail para: contato@curtabalada.com.br